Zaha Hadid critica segregação espacial do Brasil




A arquiteta iraquiana  Zaha Hadid, está no Brasil, participando do evento Arq. Futuro. Zaha concedeu uma entrevista ao jornal Estadão, em que criticou o modo como a cidade brasileira é planejada, apontando para o modo segregador como os espaços públicos são concebidos:



"Em muitas cidades ao redor do mundo, e não apenas no Rio, houve nos últimos anos uma tendência à construção de muros, de espaços privados. Mas há 300 anos nós tentamos, de certa maneira, liberar a cidade, abri-la, torná-la mais porosa, mais acessível, criando parques e espaços públicos que todos podiam usar. Ao fazer essas fortalezas privadas, como cidades muradas dentro da cidade, demos um passo para trás. Creio que já há resposta a isso, porque é um jeito muito arcaico de se viver. O urbanismo contemporâneo deve conectar as pessoas, não dividi-las."


Muito interessante a colocação de Hadid, diversos arquitetos brasileiros menos famosos e estrelados já vêm batendo nessa tecla. Vamos esperar que as autoridades, planejadores, arquitetos, urbanistas e a sociedade como um todo prestem mais atenção a esse grave problema das cidades brasileiras. 



Leia a entrevista na íntegra aqui: 
http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,arquiteta-iraquiana-examina-metropoles-brasileiras-e-critica-segregacao-do-espaco-publico,854151,0.htm




Comentários

  1. Super importante este assunto, concordo plenamente! Criando espaços de acolhimento e convivência a cidade não vira apenas um monte de ruas, um lugar de "passagem" e sim um ambiente de todos, uma continuação de nossas casas... Cria também amor, respeito e cuidado pela cidade! Parabéns pelo ótimo tópico! Abs!

    ResponderExcluir
  2. zaha tá é certa! vamos ver se agora que "foi zaha hadid quem falou" as pessoas darao mais atencao a este fenomeno

    ResponderExcluir
  3. Concordo,mas se tratando do Brasil, temos que resolver outros problemas primeiro, segurança educação em compartilhar coisas em comum e por ai vai......

    ResponderExcluir
  4. Sem entrar no mérito do post, fico pensando como veremos as obras da Zaha no futuro, já que tudo vira passado. Simplesmente não sei se gosto da arquitetura dela...

    ResponderExcluir
  5. É uma discussão realmente muito produtiva e que nos faz pensar sobre nossas cidades e a maneira como são projetadas.

    ResponderExcluir
  6. É o governo brasileiro é a assim mesmo só pensa no dinheiro que vai entrar no bouço deles não pensão nos brasileiros na nova geração.Eles nao levam em conta as obras e sim no mais barato para fazer.

    ResponderExcluir
  7. Critica a segregação espacial no Brasil e é a favor de Dubai.
    ok Zaha... vá desenhar sandálias (e talheres) rsrsrs.

    ResponderExcluir
  8. Concordo com essa maneira de avaliar a arquitetura e o espaço... mas este tipo de arquitetura "aberta" não é funcional para um país extremamente violento como o Brasil. A experiência de habitar no Rio de Janeiro é infinitamente diferente de viver nas pacificas e educadas Londres, Paris e Berlim. Por aqui os gradis, muros e cancelas constituem a manutenção dos bens e até da vida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quero prestar vestibular para arquitetura, o que preciso saber?

Autocad ou Revit?

Cartão de Natal Arquitetônico!